O que levarei para a vida da Residência no Google Campus for Startups

Publicado Originalmente no Linkedin em 9/Set/2019

No dia 30/08 a Onyo e eu precisamos nos despedir do programa de residência do Google. Já sentimos saudades, mas levaremos para sempre a contribuição que esse período deixou. Vocês podem imaginar o quanto um programa como este pode ajudar uma startup. A residência não é uma aceleração, mas também não é apenas uma hospedagem. Nós ficamos no espaço, participamos de vários eventos e recebemos muito apoio e acompanhamento. Isso ajuda bastante a startup, com muito networking, apoio técnico de especialistas do Google, mentoria de todos os tipos e é claro, um belo apoio para usar a infra-estrutura do Google Cloud. Recebemos por duas semanas visitas de especialistas da empresa de diversas partes do mundo, que fizeram uma imersão com nossos Onyocas para nos ajudar em todos os aspectos da empresa. Isso mudou a nossa história e vai ficar para sempre nela.

Mas a maior surpresa de todo esse período não foi a contribuição do programa para a empresa. A capacidade de gerar valor da interação entre os co-founders para os próprios co-founders foi o grande destaque. Isso, mudou a minha história e é o que, como co-founder e como pessoa, levarei para a vida toda. 

Logo no início do programa, uma das primeiras atividades foi uma reunião de todos os co-founders. Lá tínhamos a presença de um veterano, o Luis Novo, CEO da Skore, que havia sido residente no programa anterior e se manteve até o programa deste ano. Ele trouxe essa contribuição, disse que a diferença do Campus para todas os outros programas de aceleração e hubs de startups por que tinha passado estava nesta capacidade de aproximar os empreendedores e fazer com que isso os ajudasse. Isso foi conduzido pelo Google com maestria, dentre outras formas promovendo encontros com experts para debater e nos capacitar em temas como funding, stock options entre outros. 

Mas uma agenda específica focada na aproximação dos co-founders e em apoiá-los na jornada de empreender foi o que mais nos impactou. Contamos com a ajuda de um profissional incrível, Marcelo Cardoso. Um cara com uma carreira executiva bem sucedida, que se equipou como ninguém em sua vida profissional para ajudar um grupo como o nosso. Ele conduziu alguns de nossos encontros de forma marcante. Na primeira sessão contamos cada um um pouco de sua história. Refletimos trazendo lá de traz o porquê de cada um estar lá. E como foi incrível esse simples exercício. Me identifiquei com todos os outros empreendedores com suas histórias diferentes, mas com tanta coisa em comum. De repente, me senti em casa, e como foi estranho. Há anos parecia que eu e meu sócio éramos insanos, quase alienígenas buscando realizar coisas impossíveis, abdicando de uma carreira executiva de sucesso para empreender, sem salário, sem conforto, sem segurança. Loucos. E lá estavam outros vários loucos como eu para trazer um pouco de conforto sobre as minhas decisões de vida.

Essa aproximação inicial foi muito importante, não só por este conforto, que pode fazer enorme diferença para a jornada de empreender, mas também facilitou a troca de idéias, experiências, dicas. Mais importante, ela viabilizou o apoio em situações difíceis onde só um outro empreendedor consegue te entender profundamente, mas você precisa daquele olhar de fora, de alguém que consegue calçar o mesmo sapato que você.

No trabalho com os co-founders, Marcelo mostrou uma caixa de ferramentas impressionante. Fez cada um de nós encontrar e lutar contra suas crenças limitantes. Nos ajudou a expor nossas vulnerabilidades, a nos enxergar como entes separados de nossas empresas, a nos conhecer melhor, conhecendo um ao outro. Ele aplicou técnicas incríveis, desde constelação sistêmica até tratamento de traumas. É difícil perceber claramente o impacto disso. Diferente de uma aceleração que ajuda a empresa a produzir resultados expressivos em poucos meses, aqui estávamos indo fundo, construindo fundações. Pouca gente fala sobre como é duro psicologicamente empreender, e não só para o empreendedor, mas para suas famílias também (curiosamente fui impactado recentemente por este artigo sobre o tema: https://www.inc.com/magazine/201309/jessica-bruder/psychological-price-of-entrepreneurship.html). Ao tratar isso, esse grupo construiu empreendedores mais fortes, ajudou eles não apenas nas suas empresas, mas dentro de casa e dentro de si mesmos. Para mim como co-founder foi transformador. Como pessoa foi transformador. 

Nem todos tem o privilégio de participar de um programa como este. Em essência, acredito que a grande contribuição esteve em nos ajudar a nos conectar. Com esta experiência, aconselho a outros co-founders, mas também qualquer funcionário de startup, a se aproximar de outras startups, trocar idéias, fazer amizades. Não sabíamos muito o que esperar deste programa de residência. Esperávamos que viesse muita coisa boa do Google. Como foi surpreendente ver que veio muita coisa até melhor da conexão com outras startups e outros co-founders. 

Obrigado a todo o time do Google for Startups por essa jornada incrível e a todos os nossos colegas de residência!  

Publicado por Fernando Taliberti

Sou um empreendedor, entusiasta de inovação e tecnologia, maníaco por livros de negócios. Adoro absorver conhecimento e usar ele para construir o novo, mas também para compartilhar escrevendo e palestrando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: